Logo

 

Antonina, 2016
Revitalização da Praça Feira Mar

Moacir Zancopé Júnior + Estudiograma

Destaque no Concurso nacional de ideias para a revitalização da Praça Feira Mar

 

Antonina, 2016
Revitalização da Praça Feira Mar

Moacir Zancopé Júnior + Estudiograma

 

O atual desenho da Praça Feira-Mar é determinada por uma composição geométrica desprendida de um raciocínio estratégico com a paisagem circundante. O novo desenho para a localidade tem como premissa justamente o fortalecimento do vínculo com essa paisagem. O primeiro gesto é estabelecer um Passeio Principal Beira Mar rente a balaustrada, com 3 finalidades. Estreitar o elo da praça com a Baía de Antonina; Estabelecer um eixo visual direto com a Igreja Matriz Nossa Senhora do Pilar; Sistematizar e conectar todo o complexo com a malha urbana, desde o Mercado Municipal passando pelo acesso ao trapiche e encaminhando para marcos importantes da cidade como as Ruínas do Armazém Macedo.

 

As ruas de acesso perpendiculares a praça, são conectadas com o Passeio Beira Mar através de caminhos que conduzem a descoberta do conjunto paisagístico com visadas diretas para o Trapiche e as Ruínas. Dessa forma todos os percursos dentro da localidade criam uma relação intrínseca com a paisagem cultural.

 

A proposta de revitalização da praça é encarada como uma oportunidade para contemplar mecanismos sociais e ambientais em sua ocupação. A água, que atualmente é tratada de uma maneira desatenta, é trabalhada na proposta em diferentes interfaces afim de lhe conferir um protagonismo na localidade, ajudando a incorpora-la definitivamente na Identidade local.

 

Começando pela definição de locais específicos com vegetações para dar o suporte ao manejo, infiltração, detenção e retenção da águas pluviais da região, passando pelos tanques de tratamento das águas pluviais na praça que abastecem um corpo d’água contemplativo ou os tanques de biorremediação de águas cinzas do mercado e totalizando com o uso recreativo no trapiche. Essas decisões embasadas pelos conceitos de Infraestrutura Verde, promovem não apenas um benefício para a estrutura da cidade, mas também promove o encontro e potencializa sua utilização.

 

Dessa forma a natureza é desfrutada e suas propriedades remediadoras são utilizadas para construir laços sociais e novos espaços de fruição comunitária